Empresas aquecem geração de empregos em Foz

O turismo de lazer e compras encontrado em Foz do Iguaçu tem sido um dos grandes responsáveis pela geração de empregos na cidade. Também a formalização de empresas que atuavam de forma informal

- Publicado el 16/07/2012
image

O fortalecimento do distrito industrial e a infraestrutura de ofertas de serviços são outros fatores que contribuem para os excelentes índices alcançados pelo município e que foi destaque em uma reportagem do Jornal Folha de São Paulo.

A reportagem destaca que “Parte do dinheiro que sai do Brasil com os sacoleiros que vão a Ciudad del Este retorna ao país, trazida por estrangeiros e brasileiros residentes no Paraguai que preferem cruzar a fronteira na hora de ir ao dentista, consultar médicos, fazer exames laboratoriais, estudar e até depositar dinheiro no banco”. Informação essa que é confirmada pelo secretário de Desenvolvimento Sócioeconômico, Adevilson Gonçalves. “Estimamos que 80% dos empresários que tem comércio no país vizinho, moram aqui em Foz e fomentam nossa economia comprando imóveis, carros, consumindo em nosso comércio, restaurantes e empreendimentos de lazer, os filhos estudam em nossas escolas”, avalia o Secretário.

As pessoas que vem as compras em Ciudad Del Este e também para os passeio na Terra das Cataratas, se hospedam e gastam aqui. Consideramos que o comércio do país vizinho vive em harmonia com a nossa economia local”, destaca Adevilson. Para ele a cidade vive um bom momento. Com a criação da Casa do Empreendedor, em um ano mais de 700 pessoas buscaram a formalização, gerando impostos e empregos.

O fortalecimento do Distrito Industrial, onde cerca de 20 indústrias estão instaladas, gerando mais de 800 empregos. Outras 20 estão em construção, aquecendo o setor da construção civil, com 300 ou mais empregos. Com o turismo em alta e de olho na Copa de 2014, os empresários da área estão investindo em benfeitorias e ampliações nos hotéis e restaurantes, que também promove e gera empregos na construção civil e também de serviços.

O repórter da Folha de São Paulo, levantou na reportagem que “A aposta nos serviços, que atendem a região de fronteira, fez de Foz do Iguaçu uma das cidades que mais geram emprego no país, reduzindo sua dependência do decadente turismo de sacoleiros, abalado pela concorrência das viagens de compras aos EUA.

Neste ano, de janeiro a abril, foram criadas 1.442 vagas formais -mais do que as 1.240 de todo o ano passado, o recorde histórico. Em 2011, 52% dos novos postos surgiram no ramo de serviços, seguido por comércio (24,7%) e construção (11,4%). A cidade é a 23ª em geração de emprego entre os municípios de mais de 250 mil habitantes”.

Ele ainda publicou que “O prefeito Paulo Mac Donald (PDT) afirma que a arrecadação com serviços chega a R$ 37 milhões e deve passar nos próximos anos os ganhos com royalties da usina de Itaipu, hoje em R$ 42 milhões. Depois do Rio de Janeiro, Foz tem o maior número de leitos de hotel no país”.

A atração que o país vizinho exerce sobre brasileiros que investiram em agropecuária, acaba se revertendo de forma positiva para Foz do Iguaçu. Esse é outro destaque da reportagem. “Os serviços crescem com a pujança agropecuária nos dois lados da fronteira. Do lado paraguaio, há cerca de 500 mil brasiguaios, como são conhecidos os brasileiros que imigraram ao país vizinho em busca de terras com preço até um décimo do que custavam no Paraná dos anos 1980”.

A matéria traz ainda um levantamento. “ Segundo a Prefeitura de Foz, pelo menos 20% dos pacientes do sistema público de saúde são brasiguaios. Longe de ser um ônus à cidade, os brasiguaios movimentam hotéis e restaurantes, além de dentistas, laboratórios e médicos, entre eles cirurgiões plásticos”.

Essa procura está trazendo de volta pessoas nascidas em Foz , alguns exemplos encontrados pela reportagem. “Especializado em cirurgia plástica e ginecologia, o Hospital Cataratas tem pacotes especiais para gestantes voltados a brasiguaias que preferem ter filho no Brasil. O cirurgião plástico Ismail Safaddini, que atua em São Paulo, abriu uma clínica na cidade há dois anos. “Nasci na cidade e vi uma oportunidade de voltar e crescer junto”, disse.

Gerações inteiras de iguaçuenses têm voltado à cidade. Fundador da empresa Epeople, de software médico e telemedicina, Euclides de Moraes Barros Junior, que nasceu em Foz, abriu uma unidade da empresa no Parque Tecnológico Itaipu. O parque foi construído nos antigos alojamentos de operários de Itaipu. Hoje, há 33 empresas instaladas lá, a maioria de tecnologia”.


0 Comentarios

Participá de la conversación